Central de Atendimento
Tel.: (44) 3226-3456
Brasil fecha 331,9 mil postos de trabalho com carteira assinada em maio

O Brasil fechou 331.901 postos de emprego formais em maio, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério da Economia.

 

Os números refletem o impacto da crise do coronavírus sobre o mercado de trabalho e foram puxados principalmente pela queda nas contrataçõeos.

 

Os dados correspondem ao saldo entre admissões e demissões e fazem parte do chamado Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), baseado nas informações enviadas pelos empregadores ao governo.

 

Apesar do resultado negativo, o balanço de maio representou uma recuperação em relação ao mês anterior, considerado pela equipe econômica o ponto mais crítico da crise econômica causada pela pandemia.

 

Em abril, as demissões superaram as contratações em 902.841, respondendo pela maior parte do impacto do vírus sobre os empregos no país, que foi de 1,1 milhão só entre março e abril — primeiros meses de pandemia.

 

Na semana passada, a pasta informou que os pedidos de seguro-desemprego — outro indicador sobre a situação do mercado — somaram 3,64 milhões entre janeiro e a primeira quinzena de junho, o que representa uma alta de 14,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Queda nas contratações impacta saldo

 

O saldo de maio foi puxado principalmente pelo ritmo mais fraco de admissões, quando comparado ao mesmo período do ano passado. As contratações somaram 703.921, recuo de 48% frente ao registrado em maio de 2019: 1.347.304.

 

As demissões chegaram a cair no período, registrando 1.035.822, recuo de 21% frente às 1.315.164 contabilizadas em maio do ano passado.


Fonte: O Globo